Reumatismo não ataca somente idosos

As doenças reumáticas atingem grande parte da população adulta mas, cada vez mais, as crianças se tornam o alvo desta patologia. É preciso conhecer para trata-las

O dia 30 de outubro é o Dia Nacional de Luta Contra o Reumatismo, uma doença que se apresenta de forma variada, podendo se iniciar não só em idosos, mas também em crianças e adolescentes. A maioria das pessoas pensam que as doenças reumáticas são exclusivas da população adulta. De fato, muitas das condições ditas “reumáticas” são associadas a doenças degenerativas, como o desgaste de cartilagens, o enfraquecimento muscular e a perda de massa óssea. No entanto, existe um número grande de reumatismos que também pode afetar a população infantil.

Essas doenças geram nas crianças, sintomas semelhantes aos que afetam os adultos, como dor e rigidez nas articulações e algumas delas, podem levar a danos e limitações permanentes, comprometendo o futuro dos pequenos pacientes.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) mostram que as doenças reumáticas atingem 10% da população mundial e cerca de 20 milhões de brasileiros, com manifestações em pessoas de qualquer idade.

Sintomas

De uma hora para a outra, a criança passa a cair repetidamente, tropeçar ou caminhar com dificuldade, deixando de fazer atividades rotineiras como correr ou jogar bola. Ou, então, começa a sentir algum tipo de dor que pode ser constante, sem melhora com analgésicos e se intensificando até mesmo em repouso. Estes, podem ser sintomas de problemas reumatológicos e de inflamações nas articulações. As causas são as mais diversas: má postura, infecções na garganta e predisposição genética.

Artrite

Ao contrário da crença popular a artrite acomete crianças e adolescentes. A artrite reumatoide juvenil é uma doença relativamente rara, mas é apenas um dos tipos de artrite que podem afetar crianças. É também a mais comum. A doença ocorre em qualquer idade antes dos 16 anos, mas os picos de maior incidência estão entre 1 e 5 anos e de 10 a 14 anos de idade. Além das articulações, a artrite reumatoide juvenil pode afetar outras partes do corpo como coração, olhos, músculos, tendões, fígado e pele. É uma doença que pode persistir por anos, com períodos eventuais de remissão e atividade, quando o paciente tem dores e febre. A doença pode causar complicações para a vida da criança, como deixar de utilizar normalmente um membro do corpo como um braço ou uma perna. No entanto, quando tratada de forma adequada, a maior parte das crianças afetadas tem uma vida independente e de boa qualidade.

Tratamento

Dependendo da causa, o tratamento requer o uso de anti-inflamatórios, antibióticos, e drogas para prevenir a progressão da doença, além de fisioterapia e até mesmo psicoterapia. A avaliação do especialista é indispensável. A detecção e tratamento precoce desses problemas possibilitam a prevenção de danos permanentes. Com tratamento adequado, a criança com doença reumatológica pode ter uma vida praticamente normal.

É importante ficar atento, pois toda criança com inchaço, dificuldade de movimentar alguma articulação ou que tenha febre prolongada, sem causa evidente, deve procurar um médico.

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *