Reabertura de bares e restaurante movimentam noite das cidades

Share

Em Imperatriz, no Sul do Estado, a reabertura de bares tem causado uma falsa sensação de que tudo voltou ao normal e que o novo coronavírus não existe. Está sendo observado desde a flexibilização estabelecida nos últimos dias pela prefeitura. Um grande movimento nas ruas da cidade tem sido motivo de grande preocupação para muita gente.

Mesas cheias, bebida alcoólica e bate papo sobraram nos bares e restaurantes que foram observados lotados no intervalo de funcionamento permitido pelo decreto de flexibilização para atividades públicas e econômicas. No entanto, medidas de segurança como uso de máscara faltaram.

decreto de nº 69, assinado dia 26, pelo Prefeito Assis Ramos, permite 50% a lotação em atividades que reúnam pessoas, funcionamento de bares, casas de eventos, restaurantes e similares.

Nas casas de eventos, estão vetados shows, música ao vivo e apresentação de DJ’s. O secretário de governo, Eduardo Soares, explica que nos locais públicos e estabelecimentos comerciais permanecem as restrições para pessoas dos grupos de risco. “Idosos, Grávidas e demais pessoas com comodidades devem permanecer em isolamento social”, disse.

Segundo ele, deve-se acatar o intervalo de 2 metros entre as mesas nos bares, restaurantes, praças de alimentação de shoppings centers, galerias e centros comerciais, lanchonetes e congêneres.

“Importante ressaltar que os estabelecimentos devem realizar a higienização constante do local de funcionamento, assim como oferecer equipamentos de segurança para seus colaboradores e ofertar produtos de limpeza adequados para os clientes” – afirmou o secretário.

São Luís, 10 de Julho de 2020

Revista Saúde News Nordeste

Telemedicina ganha espaço na pandemia e é colocada a prova no Brasil

Share

Uso da modalidade está permitido em caráter excepcional e temporário

Amplamente discutida no cenário nacional em 2019 quando foi liberada e 15 dias depois revogada, por pressão de entidades médicas, a regulamentação da atividade ganha os holofotes da mídia novamente em 2020, após publicação da Lei 13.989/2020 que trata do uso da Telemedicina durante a pandemia causada pelo coronavírus (SARS-CoV-2), em abril.

Com aval do Conselho Federal de Medicina, em março deste ano, através do ofício de Nº 1756/2020, o Ministério da Saúde liberou o uso de atendimento médico com uso de dispositivos tennológicos. A modalidade pode ser usada para atendimento pré-clínico, de suporte assistencial, de consulta, monitoramento e diagnóstico de forma remota.

Segundo as diretrizes o atendimento deve ser feito diretamente entre médicos e pacientes, por meio de tecnologia da informação e comunicação que garanta a integridade, segurança e o sigilo de informações nos seguintes moldes:

Teleorientação: para que profissionais da medicina realizem à distância a orientação e o encaminhamento de pacientes em isolamento;

Telemonitoramento: ato realizado sob orientação e supervisão médica para monitoramento ou vigência à distância de parâmetros de saúde e/ou doença.

Teleinterconsulta: exclusivamente para troca de informações e opiniões entre médicos, para auxílio diagnóstico ou terapêutico.

Com a permissão da atividade, a modalidade que prevê crescimento, voltou a ser tema de debate nacional. Para os defensores, as perspectivas em relação à telemedicina no Brasil são positivas. Antes da flexibilização nos atendimentos, apenas profissionais de saúde podiam utilizar os serviços de telemedicina – a fim de obter aconselhamento clínico.

São Luís 08 de Julho de 2020

Pacientes oncológicos: Como Proceder na Pandemia

Share

Saiba quais recomendações indicadas aos pacientes em tratamento

Pacientes oncológicos estão entre as pessoas do grupo de risco para Covid – 19 e podem desenvolver, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a forma mais grave da doença; por isso, devem redobrar os cuidados para evitar contaminação do novo coronavírus. As pessoas deste grupo costumam ter queda na imunidade por conta da doença ou devido ao tratamento que estão sendo submetidos (quimioterapia, radioterapia e uso de corticoides).

Ainda há muitas dúvidas, sobretudo a respeito dos grupos de risco relacionados ao coronavírus, mas o consenso da classe médica é que quanto mais comorbidades, maior a chance da pessoa  evoluir mal, o que inclui ai pacientes oncológico que geralmente desenvolvem também outras patologias.  No entanto, não há nenhuma orientação sobre a necessidade de modificação do tratamento deste paciente.

As recomendações são a cerca dos cuidados a serem tomados para evitar infecção por coronavírus durante consultas e exames. A indicação principal de prevenção é a diminuição do fluxo e contato entre as pessoas. Para tanto, a Sociedade brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), recomenda:

Mantenham contato com o médico assistente.

Não adiem seu tratamento devido a um receio da contaminação – todos os cuidados estão sendo feitos para diminuir a forma de contágio e adiar seu tratamento pode prejudicar o resultado final do mesmo.

Mantenham-se em isolamento social com todas as medidas restritivas de circulação orientadas no atual cenário.

Outras recomendações, segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, FEMAMA, são:

Não interromper o tratamento de quimioterapia ou radioterapia, desde que não haja intercorrência clínica;

Tomar vacina para influenza/H1N1. Pacientes em quimioterapia devem consultar o seu médico;

Evitar os abraços, beijos e cumprimentos com as mãos, principalmente com pessoas que possuem problemas respiratórios ou chegaram de viagens no exterior; após qualquer contato lavar as mãos com sabão ou usar álcool em gel;

O mesmo cuidado serve para evitar contato com superfícies contaminadas como maçanetas, corrimões, botões de elevador;

Evitar visitas hospitalares, e se possível com poucos acompanhantes nas consultas; evitar ir à emergência por problemas simples; qualquer tipo de compromisso não essencial deve ser evitado;

Cuidar ao espirrar ou tossir, usando sempre o cotovelo como proteção do nariz e boca;

Em caso de sintomas gripais leves, é importante que o paciente entre em contato com o seu médico para avaliar a necessidade de procurar um atendimento de saúde.

São Luís, 07 de Julho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste ©

Julho Amarelo – Prevenção e Controle das Hepatites Virais

Share

Com objetivo de chamar atenção e reforçar medidas preventivas e de controle das hepatites virais no Brasil, em 2019 foi instituído por meio da LEI Nº 13.802 o julho amarelo.  Conhecido como o mês de luta contra a doença, diversas ações de controle vigilância costumam serem intensificadas neste período.

No entanto, talvez em função da pandemia do novo coronavírus, até o momento não foi divulgado pelo Governo do Estado a programação a ser realizada no Maranhão que confirmou, entre 2007 e dezembro de 2018, 9.021 casos de hepatites virais (HV).

No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, MS, três milhões de pessoas estão infectados pela hepatite C, mas não sabem que têm o vírus. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que cerca de 3% da população mundial, seja portadora de hepatite C cronica.

O MS presume que a falta do conhecimento da existência da doença é o grande desafio, por isso a recomendação é que todas as pessoas com mais de 45 anos de idade façam o teste gratuitamente em qualquer posto de saúde e, no caso positivo, façam o tratamento que está disponível na rede pública de saúde.

Doença

As hepatites são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas. Quando estes aparecem, podem ser cansaço, enjoo, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras, entre outros.

O diagnóstico precoce é primordial para a prevenção das principais complicações que os subtipos da doença causam, como cirrose hepática e hepatocarcinoma, que podem levar a morte.

Tipos de Hepatites

– Hepatite A: tem o maior número de casos, está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e se cura sozinha. Existe vacina.

– Hepatite B: é o segundo tipo com maior incidência; atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo.

– Hepatite C: tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É considerada a maior epidemia da humanidade hoje, cinco vezes superior à AIDS/HIV. A hepatite C é a principal causa de transplantes de fígado.  A doença pode causar cirrose, câncer de fígado e morte. Não tem vacina.

– Hepatite D: causada pelo vírus da hepatite D (VHD) ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também protege de uma infecção com a hepatite D.

– Hepatite E: causada pelo vírus da hepatite E (VHE) e transmitida por via digestiva (transmissão fecal-oral), provocando grandes epidemias em certas regiões. A hepatite E não se torna crônica, porém, mulheres grávidas que forem infectadas podem apresentar formas mais graves da doença.

São Luís, 06 de Julho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste ©

Governo libera reabertura das academias

Share

Funcionamento deve seguir normas sanitárias ou poderá ser fechada novamente

De acordo com decreto publicado pelo Governo do Estado, foi liberado o funcionamento das academias de ginástica a partir desta segunda feira, 22. No entanto, a reabertura, após três meses fechadas por medida de segurança, para evitar a disseminação do novo coronavírus, está condicionada a restrições.

A retomada do expediente só será permitida sob controle. As aulas deverão ocorrer por meio de agendamentos, observando as regras de distanciamento social. O contingente máximo permitido é de 30% da capacidade do local para que não haja aglomeração. E os procedimentos de higiene devem ser redobrados.

A sugestão é que cada equipamento tenha seu kit de limpeza, e que esta seja feita toda vez que um aluno utilize-o. Na entrada, é indicado medição de temperatura dos alunos com termômetro digital e checagem do agendamento da aula. “Os protocolos já foram aprovados e vamos fiscalizar” – afirmou o governador Flávio Dino em seu pronunciamento feito dia 19.

Para o Cirurgião Geral, Lailton Lima, a atividade física é primordial também nestes momentos, porque ajuda a manter a saúde e a imunidade alta. Ele defende a reabertura das academias, mas alerta para os cuidados necessários.

“Temos que nos proteger com uso de máscaras e lavando as mãos de forma adequada. E as academias por sua vez devem tomar as providências para proteção dos seus alunos, disponibilizando álcool gel na entrada, aferindo temperatura, arejando ambiente, afastando equipamentos e orientando os personais para que não tenha tanto contato com os alunos” – disse o médico.

“Mas a atividade física é fundamental seja na academia, ao ar livre ou até mesmo dentro de casa, desde que seja de forma segura, porque você se protege e protege seus familiares” – ressaltou Lailton.

São Luís, 23 de Junho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste

Mudanças provocadas pela covid-19 causam transtornos mentais

Share

Muitos relatos populares indicam aumento no número de pessoas com depressão. Saiba o que fazer para manter uma boa saúde mental.

Estamos passando por um momento delicado que mudou a rotina geral da população. A pandemia trouxe muitas mazelas e com elas medo, incerteza e até o pânico para muitas pessoas. Isso ocorre, segundo explicam os profissionais da Rede Saúde Mental, porque lidar com situações fora do habitual implica mudanças no comportamento.

A avalanche de notícias negativas sobre morte e o risco iminente de mais gente adoecer a qualquer momento, traz muita preocupação desencadeando num conjunto de reações orgânicas e psíquicas. Essa é uma reposta natural do organismo ao estímulo recebido bastante conhecido como estresse.

“Quando isso acontece, o corpo entende que precisa ficar em estado de alerta para fugir ou lutar. Ou seja, os hormônios como da adrenalina, cortisol e norepinefrina acabam sendo disparados em maiores dosagens, causando uma reação física” – explica a Enfermeira especialista em Saúde Mental, Alessandra.

A Enfermeira esclarece ainda que o primeiro passo para que o estresse não afete a saúde é conhecê-lo, pois a partir do momento que ele ocasiona dores, sensações de tristeza e afasta pessoas por conta do nervosismo, o problema já deve ser tratado com especialista.

“Aquilo que não conseguimos lidar emocionalmente acaba sendo descarregado no corpo, causando desde mudanças na qualidade do sono, perda ou aumento do apetite, problemas gastrointestinais, sensação de esgotamento, tensão e dor muscular, queda de cabelo, dores de cabeça, taquicardia, alergia, entre outros. Além disso, é importante falarmos de saúde mental”, afirma a enfermeira.

Dicas para manter boa saúde mental durante a Pandemia

Mantenha um bom sono, evitando redes sociais antes de dormir ou notícias que possam gerar estresse ou medo;

Caso o estresse seja de terceiros, foque na sua própria ação, respirando fundo, tendo comportamentos construtivos, não se deixando levar pela emoção de outras pessoas;

Mantenha o corpo em movimento, mesmo estando em casa;

Pratique técnicas de relaxamento, respirando fundo, tendo um momento só seu de meditação;

Mantenha uma alimentação saudável, para que vitaminas e sais minerais, os mais consumidos pelo organismo durante a reação de estresse, sejam repostos, aumentando suas defesas;

Se precisar, peça ajuda, ter sentimentos de desespero, raiva, frustração, tédio, é natural, porém quando isso começa a prejudicar o seu bem-estar e de outras pessoas, é aconselhável o apoio de um profissional.

Cuide-se!

© Revista Saúde News Nordeste

São Luís, 19 de Junho de 2020.

Imperatriz registra 3.550 casos de coronavírus e 192 mortes

Share

Em 30 dias de funcionamento do comércio 2.663 pessoas foram infectadas

Um mês após flexibilização do comércio em Imperatriz, a cidade confirma 3.550 casos de Coronavirus. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na noite desta quarta-feira, 17, 2.663 pessoas testaram positivo para Covid-19 nos últimos 30 dias – período em que as pessoas retornaram as ruas. Até 18 de maio o número casos confirmados em laboratório era 887.

Segundo a Vigilância Epidemiológica do município, o número representa 5.4% do total de casos registrados no Maranhão (64.735). Já em relação aos casos ativos que totalizam 24.204 em todo o Estado, Imperatriz detém 490 o que representa apenas 2%.

Dos 3.550 casos confirmados, 109 foram registrados nas últimas 24h, quando foram notificados também 05 novos óbitos totalizando 192 desde o início da pandemia. A Vigilância ressalta que as notificações são confirmadas apenas após a conclusão da investigação dos motivos das mortes, em detrimento disso, foram registradas 5 mortes nas últimas 24h.

“Mas os óbitos anexados hoje são 1 do dia 17/05; 1- 23/05; 1- 30/05; 1-14/06 e 1-16/06. Isso porque as notificações são confirmadas apenas após a conclusão da investigação dos motivos das mortes.” – explica nota da Prefeitura Segundo O SES.

Vale lembrar que dia 15 foi publicado decreto N° 67 autorizando também o funcionamento das praças de alimentação dos shopping centers, galerias, lanchonetes e centros comerciais, para consumo no local. O funcionamento estava limitado aos sistemas Delivery e Drive Thru.

Ocupação de leitos

Até às 18h00 desta quarta feira, a ocupação de leitos na ​​​​​​Rede Estatual era:

  • Leitos Clínicos: 59 ocupados – 72,84% de ocupação;
  • Leitos de UTI: 45 ocupados –  83,33% de ocupação;

Em Imperatriz

Hospital Municipal de Campanha Covid-19:

  • Leitos Clínicos: 5 ocupados – 10% de ocupação;
  • Leitos de UTI: 7 ocupados – 70% de ocupação.

​​​​​​Hospital da Unimed (rede privada):

  • Leitos Clínicos: 22 ocupados – 52,5% de ocupação;
  • Leitos de UTI: 8 ocupados – 66% de ocupação.

Hospital Santa Mônica (rede privada):

  • Leitos Clínicos: 11 ocupados – 47,82% de ocupação.
  • Leitos de UTI: 8 ocupados – 66% de ocupação

São Luís 18 de Junho de 2020.

© Revista Saúde News Nordeste

Maranhão mantém alerta de risco para proliferação do Aedes Aegypti

Share

Saiba o que fazer para proteger sua casa contra o mosquito.

Apesar de estarmos no fim do período chuvoso, considerado a época mais propícia para proliferação do Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya, é preciso manter o alerta para prevenção das doenças. A orientação é da  Secretaria de Estado da Saúde (SES) que reitera que os cuidados  devem ser tomados o ano todo.

Segundo a SES já foram confirmados em 2020 1.309 casos de dengue, 58 de chikungunya e 20 de zika vírus. O boletim divulgado revela também que 1.228 pessoas já se recuperaram da dengue no Maranhão. AS cidades com incidência das doenças são: Fortaleza dos Nogueiras, São Pedro dos Crentes, Nova Colinas, Governador Edison Lobão, Cururupu, Barra Do Corda, Balsas e Cajapió

Durante a pandemia do novo coronavirus estão esquecendo dos cuidados necessários para combater o mosquito. No entanto, as autoridades de saúde alertam para necessidade de limpeza das moradias.

Medidas simples e frequentes evitam que o mosquito nasça. Por isso, a população precisa participar fazendo a sua parte, mantendo os imóveis livres de criadouros. De acordo com o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), cerca de 65% dos criadouros identificados são em casas residenciais.

Uma forma de manter a casa protegida é realizando uma vistoria semanal, com lavagem de caixas d’água, bebedouros, desentupimento de calhas, eliminação de recipientes acumuladores (garrafas, lonas, baldes etc.). Segundo informações divulgadas pela equipe que trabalha no combate ao mosquito no Maranhão, já se teve registro de larvas até em cascas de ovos. Outro problema ressaltado é com garrafas em quintais.

Levando em consideração este contexto, seguem orientações sobre medidas para manter sua casa protegida contra o mosquito.

– Tampe tonéis, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água (a tampa não pode ter rachaduras);

– Coloque garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Elimine da área (terraço e quintal) recipientes que possam acumular água, como tampinha de garrafa, folhas, sacolas plásticas etc.;

– Não deixe acumular água nos vasos de plantas;

– Escove bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantenha-os sempre limpos.

Se for viajar

– Retire a água dos vasos de plantas e guarde a vasilha de água e de comida dos animais de estimação;

– Faça a vedação dos ralos dos banheiros e da tampa dos vasos sanitários;

– Verifique se as lonas de cobertura estão bem esticadas para não haver acúmulo de água.

São Luís, 17 de Junho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste

Arraial da Revista Saúde News Nordeste promete Grandes Novidades e Atrações em 2020

Share

Em novo formato, editado pela pandemia do coronavírus, o Arraial da Revista Saúde News Nordeste acontece este ano apenas nas plataformas digitais.

Realizado há 14 anos, a tradicional festa de São João da revista não poderia deixar de acontecer em 2020, por isso a direção decidiu fazer uma live com duração de 3h. A transmissão será pelas redes sociais.

A festa contará com grandes apresentações locais de bumba meu boi, danças, e além de convidados especiais.

Data e horário serão definidos e divulgados em breve. (acompanhe no instagram: @revistasaudenewsnordeste).

As festas juninas transformam as cidades nordestinas e o espírito dos admiradores que sentem uma atração e afinidade pela festa. Antes da pandemia, o Nordeste vivia, neste mês, uma grande movimentação cultural, com reflexos importantes no turismo e na economia da região.

Além do valor da tradição, a venda e consumo de produtos e comidas típicas crescem bastante nessa época movimentando o comercio de diversas cidades. Em Campina Grande na Paraiba e Caruaru no Pernambuco, por exemplo, a festa dura o mês inteiro. Shows e apresentações de grupos de quadrilhas marcam o São João de pernambucanos e paraibanos.

Já no Maranhão, o destaque das festas em comemoração aos santos populares vai para o bumba meu boi – que em 2012, foi incluído na lista de Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Inserido na cultura popular, é aqui que o Bumba meu boi tem maior representatividade. Na capital, os arraias costumam acontecer em junho e julho com apresentações diárias de shows e grupos folclóricos.

A alegria das músicas, o sabor das comidas típicas, a energia das danças, o colorido da indumentária e a beleza dos fogos de artifícios resumem as tradicionais festas juninas que, embora ocorram em todo o território nacional, são mais marcantes na região Nordeste. O costume chegou ao Brasil nos tempos coloniais, e aqui há registros de festas desse tipo pelo menos desde 1583.

São Luís, 16 de Junho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste.

Saiba o que muda na doação de sangue durante a Pandemia

Share

Dados do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão – HEMOMAR mostram que houve queda de 60% nas coletas de bolsas de sangue em todo o estado.

Em função da pandemia do novo coronavírus, o Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), tomou algumas medidas de segurança para garantir a continuidade das doações de sangue no Maranhão. Dentre elas, o agendamento via WhatsApp para organizar o fluxo de pessoas, observando as regras de distanciamento social. Na capital, a estratégia foi adotada no final de março e nos Hemonúcleos do interior na segunda quinzena de abril. (Confira números para agendamentos no final da matéria).

O agendamento, segundo explica a Direção do Centro, é feito por turno ao e não por horário devido à redução no número de funcionários. Alguns foram afastados por serem do grupo de risco. Outra medida adotada foi a disponibilização de transporte para facilitar a ida de doadores de um ponto marcado ao Hemomar e o retorno ao local.

“O HEMOMAR, durante o período de prevenção ao Coronavírus, disponibiliza uma VAN de transporte a quem conseguir formar grupos pequenos, de 5 a 6 pessoas para serem buscados em ponto de encontro e levadas de volta ao mesmo depois da doação” – informa a mensagem enviada do WhatsApp do Hemonúcleo de São Luis em resposta ao questionamento sobre disponibilidade do serviço.

Quanto aos Requisitos básicos para doação, seguem os mesmos:

  1. Apresentar documento oficial, com foto, expedido por órgão público;
  2. Estar bem de saúde;
  3. Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos. Menores (16 e 17 anos) só doam mediante consentimento formar do responsável legal. O responsável deve permanecer no hemocentro durante toda a doação;
  4. Pesar acima de 50kg;
  5. Dormir bem nas últimas 24hs;
  6. Não estar em jejum (Se vier à tarde, almoce antes);
  7. Não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes da doação;

Atenção mulher: caso esteja no período menstrual, espere acabar o fluxo para fazer sua doação.

– Quem fez tatuagem só pode doar após 1 ano;

– Quem fez endoscopia somente após 6 meses.

No entanto, a Fundação Pró-Sangue ressalta que por conta do coronavírus, algumas medidas devem ser adotadas antes da coleta. Indivíduos que apresentaram sintomas respiratórios e febre nos últimos 30 dias não podem realizar qualquer tipo de doação. Além disso, se o doador esteve em contato com algum paciente que teve Covid-19 ou apresentou sintomas, não poderá fazer a doação de sangue no período de no mínimo 14 dias. Vale lembrar que doadores e profissionais.

Em detrimento disso, segundo a coordenadora de captação do Hemomar, Frassinete dos Santos Araújo está sendo feita uma triagem (entrevista) para identificação de casos suspeitos de Covid-19 entre os candidatos doadores, como histórico de viagem nacional e internacional nas últimas duas semanas e presença de sintomas respiratórios.

“Não vamos deixar de fazer esse gesto de solidariedade. Ainda não existe nada que substitua uma transfusão de sangue. É um período crítico, mas as casas oncológicas continuam necessitando de sangue, nossas emergências, e a gente precisa manter um estoque razoável para atender a essa demanda hospitalar”, afirmou Frassinete.

NÚMEROS PARA AGENDAMENTO

São Luís (98) 9162-3334 (somente WhatsApp)
Santa Inês 
(98) 99169-8710 (WhatsApp e ligação)
Pedreiras 
(99) 98152-2444 (somente ligação)
Caxias 
(99) 99164-0230 (somente ligação)
Codó 
(99) 98144-0081 (WhatsApp e ligação)
Pinheiro 
(98) 98526-8926 (WhatsApp e ligação)
Imperatriz 
(99) 9178-2541 (WhatsApp)
Balsas 
(99) 3541-5666 (ligação)

São Luís, 16 de Junho de 2020

© Revista Saúde News Nordeste